Um site com o objetivo de ajudar os alunos a estudarem para o Enem e concursos

Tem uma pergunta, comentário ou preocupação? Nossa dedicada equipe de especialistas está pronta para ouvi-lo e auxiliá-lo. Entre em contato conosco através de nossas redes sociais, telefone ou email.

Um site com o objetivo de ajudar os alunos a estudarem para o Enem e concursos
Popular
Imagem de uma lousa verde com várias moléculas químicas intrincadas desenhadas a giz.

Tabela Periódica: Um Guia para Estudantes de Química

A tabela periódica pode parecer intimidante para muitos estudantes, com seus símbolos e números complexos. No entanto, ela foi criada para facilitar, e não complicar, o entendimento dos elementos químicos. Então, neste guia, você encontrará um resumo e exercícios práticos para dominar este tópico essencial em Química.

A Evolução da Tabela Periódica

Ao longo da história, houve várias tentativas de organizar os elementos químicos de maneira lógica. Nesse sentido, a tabela de Mendeleev, criada em 1989, foi uma das mais bem-sucedidas, organizando os elementos em ordem crescente de massa atômica.

No entanto, essa abordagem tinha suas limitações, e foi Henry G. J. Moseley quem, em 1913, propôs uma organização mais eficiente, baseada na ordem crescente dos números atômicos. Portanto, essa estrutura é a base da tabela periódica moderna.

Como os Elementos são Classificados

Primeiramente, a estrutura da tabela periódica é um guia para entender como os elementos interagem entre si. As colunas, ou grupos, reúnem elementos com propriedades semelhantes, o que é crucial porque sugere como eles podem reagir quimicamente. Por exemplo, elementos no mesmo grupo tendem a ganhar ou perder a mesma quantidade de elétrons em reações.

Passando para as linhas, ou períodos, estas representam os elementos em ordem crescente de número atômico. À medida que nos movemos de um período para o outro, adicionamos uma camada de elétrons, aumentando a complexidade do átomo e alterando suas propriedades.

além disso, no que se refere aos tipos de elementos, temos os metais, geralmente condutores e maleáveis, e os ametais, que são o oposto, muitas vezes isolantes e frágeis. E não podemos esquecer dos gases nobres, famosos por raramente participarem de reações devido à sua estabilidade eletrônica.

Por fim, os blocos s, p, d e f dividem ainda mais os elementos, refletindo as subcamadas eletrônicas ocupadas por seus elétrons. Isso nos dá pistas sobre o comportamento químico dos elementos.

Grupos ou Famílias

As colunas, numeradas de 1 a 18, são conhecidas como grupos ou famílias. Então, os elementos dentro de uma família compartilham características e propriedades físicas e químicas semelhantes. Alguns grupos são especialmente notáveis e frequentemente mencionados em exames:

  • Família 1: Metais Alcalinos
  • Família 2: Metais Alcalinos Terrosos
  • Família 16: Calcogênios
  • Família 17: Halogênios
  • Família 18: Gases Nobres
Imagem retirada do Pinterest

Os Períodos da Tabela Periódica

Os períodos na tabela periódica são fundamentais para entender a estrutura dos átomos. As 7 linhas horizontais, cada uma representando um período, estão em ordem crescente de complexidade eletrônica. Simplesmente, quanto mais longe você vai, mais camadas de elétrons os átomos têm.

Cada período corresponde diretamente ao número de camadas eletrônicas que um átomo possui. Um elemento no período 2, por exemplo, tem átomos com duas camadas eletrônicas, as camadas K e L. Já os elementos no período 7 têm átomos com sete camadas eletrônicas, estendendo-se da camada K até a Q.

Em resumo, os períodos nos contam quantas camadas de elétrons cercam o núcleo de um átomo, o que é essencial para entender as propriedades químicas e o comportamento dos elementos.

Metais, Ametais e Gases Nobres

A tabela periódica se divide em três grandes setores, com cada setor representando uma classe de elementos com propriedades distintas:

1. Metais

  • Características: Sólidos à temperatura ambiente (exceto o mercúrio, que é líquido), bons condutores de calor e eletricidade, dúcteis e brilhantes.
  • Comportamento Químico: Tendem a perder elétrons em ligações químicas, tornando-se cátions.

2. Ametais (ou Não-Metais)

  • Características: Não conduzem bem calor ou eletricidade, variam em estados físicos à temperatura ambiente, e não são maleáveis ou dúcteis.
  • Comportamento Químico: Tendem a ganhar elétrons em ligações químicas, tornando-se ânions.

3. Gases Nobres

  • Características: Gases à temperatura ambiente, localizados na família 18.
  • Comportamento Químico: Praticamente inertes, devido a terem 8 elétrons na camada de valência, o que os torna estáveis e resistentes a reações com outros átomos.

Assista a essa playlist da tabela periódica

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos!
URL
Post Anterior

Porcentagem: Um Guia Prático com Exercícios

Próximo Post

10 Dias para o Encceja 2023: Dicas para a Reta Final

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia mais