Um site com o objetivo de ajudar os alunos a estudarem para o Enem e concursos

Tem uma pergunta, comentário ou preocupação? Nossa dedicada equipe de especialistas está pronta para ouvi-lo e auxiliá-lo. Entre em contato conosco através de nossas redes sociais, telefone ou email.

Um site com o objetivo de ajudar os alunos a estudarem para o Enem e concursos
Popular
Proteínas

Proteínas: A Chave para uma Saúde Robusta

Você já parou para pensar no que nos permite mover, crescer e basicamente viver cada dia? A chave para esse enigma reside nas proteínas, as maravilhas microscópicas que servem como alicerces de quase tudo que acontece em nossos corpos. Agora, imagine um mundo minúsculo, mas imensamente poderoso, onde pequenas estruturas estão em uma dança constante, trabalhando harmoniosamente juntas para construir, reparar e manter praticamente cada parte de nós. Dessa maneira, somos introduzidos ao fascinante universo das proteínas!

O que são Proteínas?

Imagem retirada do site Runsociety

As proteínas são macromoléculas fascinantes e essenciais para a vida, formadas pela união de moléculas menores conhecidas como aminoácidos. De forma simplificada, podemos entender as proteínas como polímeros de aminoácidos. Adentrando um pouco mais nesse universo intrigante, é interessante conhecer a estrutura básica que compõe esses componentes vitais.

  • Unidades Básicas: Primeiramente, cada aminoácido é uma unidade básica que contém cadeias de átomos de carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e, em alguns casos, enxofre.
  • Grupamentos Funcionais: Além disso, na estrutura de um aminoácido, encontramos dois grupamentos funcionais importantes:
    • Grupamento Carboxila (COOH): Uma combinação de carbono, oxigênio e hidrogênio, essencial para a formação das ligações entre aminoácidos.
    • Grupamento Amina (NH2): Composto por nitrogênio e hidrogênio, crucial também para a união dos aminoácidos e a formação das proteínas.
  • Ligações Peptídicas: Quando os aminoácidos se unem, eles formam ligações peptídicas. Então, através destas ligações que as proteínas ganham vida, criando longas cadeias que podem se dobrar e se torcer em estruturas tridimensionais complexas, que são fundamentais para suas funções específicas.
  • Diversidade Funcional: Por fim, as proteínas não são apenas estruturas estáticas; elas são dinâmicas e multifuncionais. Algumas delas atuam como enzimas, facilitando reações químicas vitais, enquanto outras desempenham papéis estruturais, de defesa, de transporte, entre muitos outros no nosso organismo.

Funções Essenciais

Diversas funções cruciais no corpo são desempenhadas por estas macromoléculas, incluindo:

  1. Estrutural: Formam a base de muitas células e tecidos do corpo. Por exemplo, a queratina é vital para a estrutura da pele, cabelo e unhas, enquanto o colágeno e a elastina fornecem suporte e elasticidade aos tecidos.
  2. Transporte: Membros como a hemoglobina são responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue.
  3. Contração Muscular: A actina e a miosina são fundamentais para a contração dos músculos.
  4. Enzimas: Catalisam as reações químicas que ocorrem no corpo, acelerando-as para que ocorram em uma taxa viável.
  5. Anticorpos: Produzidos pelos linfócitos B, desempenham um papel crucial na defesa do corpo contra patógenos.
  6. Hormônios: Alguns hormônios, como a insulina, atuam no metabolismo da glicose, promovendo sua utilização para gerar energia ou armazenando-a nos tecidos na forma de glicogênio.
  7. Coagulação Sanguínea: Desempenham um papel na coagulação do sangue, sendo crucial para evitar hemorragias.
  8. Regulação Genética: Atuam na regulação da atividade dos genes, influenciando a expressão genética e, consequentemente, a função celular.

Fontes de Proteínas

Os grãos são excelentes fontes de proteínas e representam opções mais saudáveis. Uma combinação clássica é a de arroz e feijão. Esta dupla é especial porque cada componente oferece diferentes tipos de aminoácidos essenciais que o corpo precisa.

  • Arroz: Rico em aminoácidos sulfurados como metionina e cisteína.
  • Feijão: Fornecer uma boa quantidade de lisina, um aminoácido crucial que muitas vezes falta em dietas baseadas em cereais.

Juntos, arroz e feijão formam uma proteína completa, proporcionando um perfil balanceado de aminoácidos essenciais. Além disso, essa combinação é econômica, tornando a nutrição acessível e deliciosa.

Características das Proteínas

As proteínas são macromoléculas notáveis com uma diversidade estrutural e funcional imensa. Elas podem ser categorizadas de acordo com sua composição em:

  1. Proteínas Simples: Estas moléculas são formadas exclusivamente por aminoácidos. Atuam como blocos construtivos essenciais e podem desempenhar funções variadas no organismo, portanto servindo como a base para a estrutura e funcionamento de muitos sistemas biológicos.
  2. Proteínas Conjugadas: Em contraste com as simples, estas proteínas apresentam uma composição mais complexa. São formadas por aminoácidos e um componente adicional não-proteico conhecido como grupo prostético. Este grupo, que pode ser um metal, um carboidrato, um lipídeo ou um ácido nucleico, confere à proteína características e funções especiais, ampliando assim o espectro de atuação destas moléculas no organismo.
    • Exemplo: A hemoglobina é uma proteína conjugada clássica, composta por quatro cadeias polipeptídicas e um grupo prostético denominado grupo heme. Este grupo heme contém ferro, que é essencial para o transporte de oxigênio no sangue.

As proteínas conjugadas são fascinantes pois o grupo prostético permite que desempenhem funções únicas e muitas vezes complexas, ampliando ainda mais o papel vital das proteínas em nosso organismo.

Anemia Falciforme

Imagem retirada do site Marcio Antoniassi

A anemia falciforme exemplifica de maneira dramática como uma pequena alteração na sequência de aminoácidos pode ter consequências significativas nas propriedades e funções de uma proteína. Desse modo, o distúrbio genético ocorre devido a uma substituição singular de um aminoácido: o ácido glutâmico é substituído por valina na posição sexta da cadeia polipeptídica da hemoglobina.

  • Consequências Moleculares: Esta substituição aparentemente mínima altera a estrutura tridimensional da hemoglobina, o que, por sua vez, afeta a forma dos glóbulos vermelhos, que assumem uma forma de foice ou crescente, ao invés da forma discoidal típica.
  • Impacto no Organismo: Os glóbulos vermelhos deformados têm dificuldade em atravessar os pequenos vasos sanguíneos, o que pode levar a bloqueios vasculares e, consequentemente, a episódios dolorosos, danos aos órgãos e outras complicações graves associadas à anemia falciforme.

Portanto, a anemia falciforme destaca a intricada relação entre a sequência de aminoácidos, a estrutura das proteínas e a vasta gama de funções biológicas que elas desempenham, reforçando a complexidade e a precisão exigida na maquinaria molecular que sustenta a vida.

Fonte:

Piedmont

Nourish

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos!
URL
Post Anterior

Lipídios: Funções Essenciais, Tipos e mais

Próximo Post

Pré-História: Do Paleolítico à Idade dos Metais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia mais